EducaPX SitePX AWS Contraste Aumentar/Diminuir a fonte

Formação da GCM e Mediação de Conflitos

Formação GCM

 

 

O QUE É A FORMAÇÃO DA GUARDA CIVIL METROPOLITANA?

É um projeto da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, por meio da Coordenação de Educação em Direitos Humanos, em parceria com a Secretaria Municipal de Segurança Urbana.

A formação do efetivo da GCM é realizada por meio do Centro de Formação da Guarda Civil Municipal, que realiza atividades permanentes de formação do profissional da segurança urbana.

O objetivo das formações, dos cursos e da atualização da grade curricular do Centro de Formação procuram estimular que a atuação da Guarda esteja em sintonia com os princípios da cidadania e dos direitos humanos.

De acordo com a Meta 39, Secretaria Municipal de Segurança Urbana, com apoio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos, deveria capacitar todos os agentes da Guarda Civil Metropolitana em direitos humanos e 2.000 em mediação de conflitos. Essa meta foi cumprida e superada em 167,2%, sendo efetivamente formados 6420 agentes da Guarda Civil Metropolitana e 4547 em mediação de conflitos. As metas e resultados podem ser acessados no Planeja Sampa

A atuação da Guarda presta serviços relevantes, em diversas frentes de trabalho, e deve sempre ter como foco a proteção dos direitos do cidadão.

Em várias de suas frentes de trabalho, aparecem questões ligadas à atenção à escola, ao patrimônio público, ao meio ambiente, à população em situação de rua, aos idosos, aos deficientes, aos servidores municipais e à mediação de conflitos. 

Portanto, a Coordenação atuando em parceria com a SMSU-Centro de Formação, no sentido da qualificação como um esforço formativo permanente da GCM, para que ela possa estar alinhada com a ideia de uma segurança urbana cidadã e afeita à cultura dos direitos humanos.

 

COMO É A FORMAÇÃO?

O ciclo de formação foi iniciado pelo Seminário Segurança Urbana e Promoção dos Direitos Humanos (10 a 15 de junho de 2013), evento que reuniu mais de 400 integrantes da GCM, e que marcou uma semana de intensas atividades de debate, construção e modernização do conhecimento do efetivo da GCM. O material foi gravado e disponibilizado para consultas e uso pedagógico do Centro de Formação da GCM.

Além disso, a revisão curricular vem sendo elaborada com base nos trabalhos do Conselho Acadêmico do Centro de Formação.

A adoção de métodos inovadores de ensino, que envolvem curtas-metragens e rodas de conversa sobre temas de direitos humanos, tem sido fomentado com a formação e distribuição de KITS de materiais pedagógicos, como o KIT 10 DVDS Entretodos temáticos, atribuídos ao Centro de Formação da Guarda Civil Municipal, e permanentemente disponibilizados aos educadores da GCM.

A estratégia permanente de formação adotada vem sendo aplicado por meio de um leque amplo de cursos de direitos humanos no formato EAD (em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública – SENASP/MJ), por cursos de mediação de conflitos (em parceria com a Escola Nacional de Mediação, ENAM, da Secretaria da Reforma do Judiciário/MJ) e por formações realizadas a partir da matriz curricular do primeiro curso, sendo ministradas pelos servidores socializadores formados no primeiro curso oferecido em parceria com a Escola de Governo. 

 

 

 

 

 

Mediação de Conflitos

 

O QUE É A MEDIAÇÃO DE CONFLITOS?

É a Política Municipal de Mediação de Conflitos que foi lançada no dia 19 de fevereiro de 2014. A cargo da Secretaria Municipal de Segurança Urbana (SMSU) com a parceria da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC). Ela integra o Programa de Metas da Prefeitura, que prevê a capacitação de 2.000 Guardas Civis Metropolitanos, para que se crie uma cultura de respeito à mediação como forma dialógica de resolução de conflitos.

As diretrizes buscam resgatar a função comunitária da Guarda Civil Metropolitana, aproximando os agentes da população em atuação através da mediação de conflitos, além de garantir agilidade na solução de impasses envolvendo direitos disponíveis, a fim de evitar medidas jurídicas e o acirramento das disputas.

“A política de mediação de conflitos é fundamental para desnaturalizar a cultura de violência que acontece em São Paulo”, disse a secretária-adjunta de Direitos Humanos e Cidadania, Larissa Beltramim, no ato de lançamento. Também estiveram presentes no evento Angélica Molina, coordenadora do Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria Municipal de Segurança Urbana; Gilson Pereira Menezes, comandante-geral da Guarda Civil Metropolitana; e Igor G. de Oliveira, coordenador-geral da Escola Nacional de Mediação (ENAM/ MJ).

Além da atividade formativa, previu-se a possibilidade de melhoria das condições de atuação das 31 casas de mediação existentes na Cidade de São Paulo. Em agosto de 2013, a SMSU e a SMDHC firmaram um termo de cooperação técnica com a Escola Nacional de Mediação para iniciar o ciclo de formação dos guardas mediadores, e um grupo de mediadores iniciou um trabalho de reflexão e atuação em torno do tema. No dia 21 de fevereiro de 2014 foram iniciadas as atividades de formação de 30 instrutores de mediação oferecidas pela SMDHC, SMSU e ENAM, em formato de preparação técnica e prática.

 

Abaixo está disponível a localização dos centros de mediação. 

 

 

 

 

 

Enviar comentário

left show fsN center tsN c05 fwB|left fwR tsN center fsN normalcase|show c15 center normalcase tsN fwB|c05||image-wrap|news c05|fsN fwR normalcase tsN bsd b02 c05 sbww|b01 c05 bsd|login news fwR normalcase tsN b01 bsd c05|bsd b02eu sbww fwR c05 tsN fsN normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||